RUGAL: Conheça a obra que inspirou a série coreana da Netflix

em 6 de maio de 2020



Choi Jin-hyuk como Kang Kibeom. (Foto: Netflix)

Netflix tem investido cada vez mais em suas produções e quando o assunto é drama coreano, o serviço de streaming tem dominado o setor de entretenimento com produções de ótima qualidade como VagabondKingdom, Crash Landing on You e muitos outros que encantaram o público ocidental. 

O recente lançamento do gênero ação, Rugal fez sua estreia no final de março e captou a atenção de muitas pessoas com uma história que mescla drama e a busca por vingança de um protagonista que foi cruelmente injustiçado. O K-drama surpreendeu por chegar com uma ambientação mais agitada e misteriosa, sem abordar o clássico romance popular nas produções coreanas, sendo comparado em algumas fontes ao sucesso ''Demolidor'' também da Netflix, levando ao surgimento de dúvidas sobre a história que inspirou a produção da série.

Poucas pessoas tiveram conhecimento que a série coreana foi desenvolvida baseada numa obra já existente, um Manhwa (mangá coreano) intitulado como ''Rugal'' escrito e ilustrado pelo autor Rel.mae. Após fazer grande sucesso entre o público sul coreano, a ideia de juntar a brilhante e cruel trama do webtoon a um elenco de peso fez com que a Netflix resolvesse dar suporte a produção da série e levar a história para o lado ocidental do globo. O drama traz em seu elenco nomes conhecidos na indústria como Choi Jin-hyuk, Park Sung Woong, Jo Dong Hyuk e Jung Hye In, confira o trailer completo de Rugal.


Diferenças entre a série da Netflix e o webtoon

No manhwa existem bastante diferenças entre a história adaptada para a série, como por exemplo, a equipe Rugal conta com mais membros além dos quatro principais que vemos na adaptação. Na versão quadrinhos, os personagens Susan e Bradley são bem mais ativos nas lutas e prestam suporte ao quarteto principal durante as missões mais complicadas. Além disso, diferente da adaptação onde o protagonista Kang tem apenas a esposa, no manhwa ele tem uma esposa e uma filha pequena, o que torna ainda mais revoltante o que aconteceu com ele. 

Contudo, diferente das produções ocidentais que abordam os assuntos com mais fluidez, as produções coreanas possuem um controle do que é exposto nas adaptações e classificação etária, por exemplo, se você assiste as séries orientais com frequência já deve ter notado que muitas vezes não pesam a mão na quantidade de sangue, censuram cenas fortes como ferimentos, acidentes e quando a obra possui situações com insinuação sexual (mesmo que seja um beijo mais intenso), violência e prostituição, geralmente são classificadas como exclusivas para o público 19+. 

Logo, trazer a imagem da filha pequena do protagonista morta, não pode ter sido uma boa ideia segundo a produção, por isso optaram por deixar apenas a esposa de Kang na história.


Kang com a espinha artificial e seu traje tático da versão ilustrada de Rel.mae. 

O Visual


visual dos personagens é bem mais autêntico na produção ilustrada, eles vestem um traje tático repleto de aparatos no clássico estilo anti-herói americano, com destaque para o visual de Kang que é conhecido na obra ilustrada por seus ''olhos de animal selvagem'', uma referência a coloração amarela dos olhos do personagem. Na série, adaptaram os olhos do protagonista de uma maneira menos bizarra e mais tecnológica, com efeitos que ficaram excelentes e trouxeram uma aparência digna de um cyborg. 

Comparação entre o visual série X Manhwa. 

Ainda sobre o manhwatodos os membros da equipe possuem uma espinha artificial desenvolvida para aumentar o desempenho de sua força e equlíbrio nas lutas. Algumas adaptações foram completamente notáveis como o
s uniformes e máscaras dos personagens para a série que foram adaptados de uma maneira mais descolada e ''aceitável'' para o estilo de produção coreana, na versão ilustrada eles usam trajes extremamente justos e repleto de acessórios como os super heróis. Entretanto, em relação a adaptação das máscara de Kang, conseguiram trazer a identidade dos personagem de uma maneira bacana , lembrando bastante a sua versão do manhwa.

A diferença entre os olhos artificiais e comparativo das máscaras.


A série terá uma segunda temporada? 


No ocidente, Rugal tem sido muito bem recebida pelo público, entretanto na Ásia as produções que estão dominando o ranking de mais assistidas do momento são ''The World of the Married'' com 22.7%, ''Good Casting'' com 10.6% e ''Hospital playlist'' com 12.0%, enquanto Rugal está com 2.1% de audiência. Para que a série seja renovada é importante levar em conta o seu desempenho com o público de um modo geral e baseado nisso a Netflix pode tomar a decisão de trazer uma 2ª temporada para o catálogo. 

Quanto ao material para ser adaptado, Rugal possui cerca de 102  capítulos com muita história para contar, o que pode ser visto como material suficiente para continuar a produção da série. Entretanto, resta apenas aguardar pelos próximos episódios e torcer para uma boa novidade em breve vinda da equipe responsável pela série. Para os amantes de produções do gênero é esperado que em breve possamos conferir mais obras como ''Rugal'' e ''Vagabond'' que fogem do clichê dos famosos romances do catálogo. Enquanto isso, será necessário aguardar pelos próximos episódios e mais atualizações do serviço de streaming sobre o futuro da série. 

Se você se interessou por ler a obra digital do autor Rel.mae, o material pode ser acessado no site oficial da toomicsbastando clicar aqui. Contudo, é importante ressaltar que a obra é disponibilizada apenas no idioma inglês.

Rugal está sendo exibida no catálogo Netflix com atualização semanal de dois episódios.

Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário