Curta!

Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador livros. Mostrar todas as postagens

THE WITCHER: A ESPADA DO DESTINO

19 de março de 2017





Oi pessoal tudo bem com vocês?




























  Demorei para trazer essa resenha, mas como prometido cá estou eu com mais uma
 resenha da saga The witcher (Andrzej Sapkowski) e como vocês já sabem sou mais do que apaixonada por esse imenso universo, especialmente pelos personagens.  Então se você quer saber sobre o que achei do segundo livro da saga é só continuar lendo esse post! 



Então vamos lá?!



A RESENHA













No primeiro contato com ''A espada do destino'' podemos notar claramente que o autor manteve sua narrativa dividida em contos. E logo de inicio somos presenteados com um conto de tirar o folego, e com um final digno de aplausos, sendo um grande ''Abre alas'' para os outros contos que estão por vir.  O que não pude deixar de notar é que o tempo todo somos apresentados a diversos tipos de personagens com questões muito humanizadas e até mesmo os diversos tipos de emoções que o ser humano é capaz de sentir. O que mais me chama atenção na narrativa de Sapkowski é como todos os contos possuem uma ''mensagem'' quase explicita de cada sentimento humano, e o autor adora expor a questão do quanto as ambições e cobiça são algo insignificantes que podem prejudicar  quem as detém ao extremo como algo inabalável. (o primeiro conto mostra muito bem isso). E acabamos nos acostumando e não nos surpreendemos mais com os ''saltos'' de tempo entre os contos. 

 No primeiro conto '' O limite do possível''  temos o reencontro de Geralt e Yennefer, em uma situação completamente inusitada em companhia de aventureiros em busca de um ''Tesouro'', e somos presenteados com uma deliciosa narrativa cheia de surpresas inusitadas e muita ação. Já no segundo conto, ''Um fragmento de Gelo'' Contamos com o belo casal novamente, mas com a insistente tensão dos amantes vitimas de uma relação cheia de conflitos, dúvidas , e somos apresentados a um Geralt deRívia com uma questão pessoal para lidar nada convencional para os bruxos. 


  Ao longo do livro, temos mais quatro contos maravilhosos que merecem a maior atenção do mundo no ato da leitura, para não deixar escapar nenhum detalhe. Mas em minha opinião, se você pretende ler os livros, mantenha-se completamente atento aos contos '' A Espada do destino'' e ''Algo mais'' , pois são de extrema importância e inclusive, são os que mais mexem com nosso interior, pois possuem questões pessoais do Bruxo quanto ao tão temido ''destino''. 






Inclusive, acabei voltando com o velho hábito de desenhar, e tenho postado algumas artes de minha autoria representando alguns personagens dos livros como ''Essi Daven'' do conto ''Um pequeno sacrifício'' em meu Instagram! 
Para conferir é só clicar ao lado <3 


Espero muito que vocês tenham gostado! 

RESENHA: THE WITCHER- O ÚLTIMO DESEJO

24 de janeiro de 2017




Oi gente, tudo bem? 


  Ultimamente não tenho tido muito empenho em estar postando certinho pra vocês aqui no Blog por conta da correria que estou vivendo ultimamente em meu dia a dia. Mas de modo algum eu poderia deixar de me esforçar pra trazer coisas novas para vocês.  Então fiquem sempre ligados, pois apesar de não estar provida de tanto tempo quanto eu tinha antes, estarei sempre mantendo nosso cantinho atualizado semanalmente com conteúdo. 




Recentemente voltei ao hábito da leitura. E isso tem me deixado bem empolgada e tem sido uma ótima distração, principalmente quando estou a caminho do trabalho.  A leitura é sem dúvidas a minha opção favorita para escapar do cenário urbano, e de fato, não poderia optar por uma escolha melhor. Ler é acima de tudo uma das mais belas formas de escapar do cotidiano que vivemos e adentrar universos magníficos e histórias incríveis, afugentando assim o estresse e pensamentos ruins que temos ao longo do dia.






Já parou para refletir sobre quantas histórias, universos e personagens diferentes temos a chance de conhecer através dos livros?


Livros não são pedaços de papel. São diferentes universos cuidadosamente esculpidos para que muitos aventureiros (leitores) possam desfrutar. Quantas vezes você já se colocou no papel daquele personagem favorito? Quantas vezes você se imaginou na pele do protagonista? Podendo até mesmo se imaginar naquela batalha épica de um livro de fantasia? 




 A partir do momento que temos a oportunidade de adentrar um universo desses meu amigo(a), certamente não há mais volta. Pois a cada capítulo ficamos mais famintos ainda pelo que está por vir. 





PRIMEIRA IMPRESSÃO 




Faz um tempo que havia citado a saga The witcher de Andrzej Sapkowski em minha Wishlist literária. Como uma grande fã da franquia de Games, não poderia deixar de sonhar em adquiri-los não é mesmo? Esses livros tem sido o meu sonho de consumo desde que tive a oportunidade de jogar os Games, até que nesse natal acabei tendo a sorte de ganhá-los como presente de meu namorado. Então pensem só como fiquei feliz! 



Não demorou muito para que eu simplesmente ''devorasse'' o primeiro livro. E simplesmente nunca nessa vida li algo parecido com a literatura de Sapkowski. Sua escrita é sem dúvidas, uma das melhores que tive a oportunidade de desfrutar. Não há palavras certas para expressar a sensação que a mesma nos proporciona. É uma escrita detalhista, envolvente e sua narrativa é viciante. 


O que mais me deixa atraída por literatura fantástica é que consigo notar a liberdade que o autor tem dentro do que ele mesmo propõe no livro e em ''O último desejo''  temos isso.



O autor é polonês e usa da mitologia eslava como uma grande fonte: temos um mundo cheio de raças, seres, criaturas bizarras, feiticeiros e todas aquelas coisas da fantasia no qual os grandes fãs desse tipo de literatura estão acostumados. Mas a maior das curiosidades do primeiro livro da saga são referências sobre alguns contos famosos como '' A branca de neve e os sete anões'' que o autor faz questão de usar e expressar através do desenrolar das histórias, o quanto as aparências enganam. 



A CAPA











A edição que escolhi é com a arte do jogo The witcher 3 Wild Hunt e o trabalho gráfico realizado para as capas ficou maravilhoso. Muitas pessoas tem preferência pela capa original das primeiras edições que de certa forma são tão belas quanto a que escolhi. As folhas são de ótima qualidade e em tom amarelado e a tradução feita do polonês por Tomasz Barcinski é de ótima qualidade.



A RESENHA 




'' Para se tornar bruxo, é preciso ter nascido sob a sombra do destino, e não são muito os que nascem nessas condições. É por isso que somos tão poucos. Envelhecemos, morremos e não temos a quem transmitir nosso conhecimento e nossas aptidões. Faltam-nos substitutos, e este mundo está cheio do Mal, que apenas espera que sumamos de vez.''

Geralt de Rívia. 


Agora chegou a hora que todos aguardavam não é mesmo? 



Então tentarei fazer uma resenha completamente livre de Spoilers para vocês.  A saga de livros do bruxo Geralt de Rívia,  já começa em grande estilo: Em O Último Desejo, primeiro volume da saga, você já é surpreendido com a escrita maravilhosamente detalhista e com detalhes bem descritivos, nem mesmo os movimentos dos personagens passam despercebidos e são narrados cautelosamente pelo autor.  Primeiramente para o público que é fã ou simpatizante de literatura fantástica, e para aqueles que já tiveram contato com a franquia de jogos  The Witcher – que tive a incrível experiência de jogar e me aprofundar no universo antes mesmo de ler - já que o jogo é baseado na obra brilhantemente escrita por Andrzej Sapkowski.




 A história gira em torno de Geralt de Rívia, conhecido também como Lobo branco (devido a coloração branca de seus cabelos) e como carniceiro de Blaviken. Geralt é um bruxo, profissão mais do que requisitada em meio a um cenário onde pessoas frequentemente necessitam de alguém profissional o bastante para livrá-los das garras de monstros, apesar de muitos não demonstrarem nenhum tipo de afeição pela figura do bruxo. 

Geralt de Rívia é um personagem nada convencional. Não possui simpatia e tão pouco saí por aí distribuindo sorrisos, mas apesar de tudo isso é um personagem extremamente interessante pois não é nada ''clichê''.  Narrado em terceira pessoa, o autor já nos apresenta Geralt como personagem principal quando nos dá os pensamentos e bastantes características do bruxo. Ao longo da narrativa, você consegue perceber o seu grande senso de justiça. O realismo que o autor dá em suas descrições faz com que as lutas sejam realmente épicas e rendendo ótimos parágrafos de pura emoção para nós leitores. O livro não é uma narrativa direta como muitos imaginam e estão acostumados, possui contos separados que narram diversas aventuras do bruxo, ficando cada vez mais intenso. 

Sapkowski explora diversos temas que vão desde o racismo, preconceito até a subjetividade humana em alguns contos. A leitura flui rapidamente e certamente se tiver tempo livre, irá acabar com a leitura em menos de uma semana. 



E como boa fã que sou, já estou terminando o segundo livro da saga e logo trarei a resenha para vocês. Espero muito que vocês tenham gostado. 




Um grande beijo e até a próxima!











RESENHA LITERÁRIA: TIGANA

13 de janeiro de 2017


Oi gente! Tudo bem? 

Hoje eu trouxe uma resenha literária para vocês do livro ''TIGANA'' que comprei já faz um tempo e resolvi apostar na leitura para trazer o resultado aqui para o Blog. Então resolvi trazer para vocês em primeira mão sobre o que achei da leitura de Tigana, sem precisar dar Spoilers! 




Primeiramente, a editora Arqueiro merece grandes elogios pela bela capa e pelo excelente trabalho gráfico. A capa é muito bonita. O layout do livro, com os mapas coloridos no verso da capa e da contracapa ficaram ótimos!

A RESENHA

Antes de iniciar nossa resenha, gostaria de fazer uma observação inicial dizendo que Tigana foge ao estilo mais moderno do gênero fantasia que temos no mercado literário atualmente. Os leitores que estão procurando aventura e fantasia do tipo D&D (Dungeon and Dragons), podem se decepcionar com Tigana. Gavriel Kay é um escritor que preza pela construção bastante rica e detalhada da personalidade dos seus personagens e dos cenários urbanos e políticos onde a história se passa. Tigana nos faz lembrar muito  da Itália renascentista.

Não há anões, dragões, seres sobrenaturais ou lutas épicas.
 
No entanto, Guy Gavriel Kay é um ótimo escritor. Sua narrativa é rica em detalhes. Seus personagens possuem um desenvolvimento muitio interessante de personalidade – você não encontrará dois personagens descritos com a mesma característica. A trama de Tigana gira em torno de algo semelhante a Game of Thrones: política, traições, conspirações, vingança, discórdia, tendo um ar bem mais ''realista''. O autor também aborda filosofia e religião e os vilões cumprem apropriadamente o papel e nos faz sentir raiva como nunca. 

No inicio, achei a narrativa muito cansativa. Não era aquele livro que dá vontade de devorar da noite pro dia sabe? 

A história não me envolveu de inicio, talvez por não conter magia e seres mágicos como estou acostumada. Mas a leitura valeu bastante a pena e pretendo ler novamente para apreciá-lo da melhor forma possível. Os capítulos são grandes, e se você busca por uma leitura do tipo ''livro de bolso'' essa não será a melhor opção. Uma coisa que senti bastante falta foi do glossário ou uma parte que explicasse sobre o mundo que nós estamos conhecendo. Tudo isso é devido ao livro possuir muitas particularidades, detalhes próprios e o leitor tem que ficar quebrando a cabeça pra entender de que eles estão falando como Deuses e Moeda. 

Para os leitores que possuem dificuldade em pegar esses detalhes mais rápido, é um tanto cansativo. Mas tirando isso, é um ótimo livro com uma excelente ambientação e vale a experiência de um lugar que faz lembrar a itália renascentista. 

Espero que tenham gostado meus amores. Em breve trarei mais resenhas literárias!

Um grande beijo!