BANANA FISH - A obra de Akimi Yoshida adaptada pelo estúdio MAPPA

em 5 de fevereiro de 2019



Salve amores, tudo bem?

Espero que vocês tenham tido um excelente começo de semana.

Faz tempo que eu não faço uma crítica de anime para vocês aqui em nosso cantinho. Esse mês tem sido uma correria infinita para acertar as coisas e deixar tudo no ritmo certo para continuarmos o ciclo de postagens para 2019 com muitas novidades. Então já separa seu banquinho e vem conhecer mais sobre essa obra incrível de Akimi Yoshida. 


SOBRE O MANGÁ


Em 2018 o estúdio MAPPA, conhecido pela adaptação do anime Yuri On Ice!!,  decidiu adaptar a obra da mangaka Akimi Yoshida.

Banana Fish é um mangá do gênero Shoujo que fez bastante sucesso nos anos 90, sendo aclamado pela crítica e exposto na revista Shōjo Comic de 1985 a 1994. A obra contou com 5 histórias paralelas publicadas. 

Ash Lynx é o protagonista, um jovem de apenas 17 anos  que é líder de uma gangue de adolescentes em Nova York. Anteriormente, ele era um escravo sexual, executor e herdeiro do império criminoso de Dino Golzine. Ele acaba saindo dos pés de Golzine ao se deparar com um mistério envolto do código ''Banana Fish'' envolvendo seu irmão mais velho, veterano de guerra no Vietnã. Ash é o protagonista perfeito: bonito, sedutor e perigoso ao extremo. Astuto, ele possui um conhecimento apurado e diversas habilidades. Na obra de Akimi Yoshida, sua aparência física é baseada em Stefan Edberg e na adaptação para anime em River Phoenix .  


O ANIME 


Originalmente Banana Fish é retratado nos anos 80 durante os acontecimentos do mangá. O estúdio MAPPA conseguiu captar a vibe da obra, porém, adaptada para os dias de hoje. 

Banana Fish não tem palavras para descrever o quão é envolvente. Você começa o primeiro episódio e logo fica ansioso para terminar todo o anime. Entretanto, esse não é um Shoujo como os outros, focados extremamente no casal e desenrolar do Romance. Na obra, nós temos demonstrações indiretas, praticamente nas entrelinhas envolvendo Eiji e Ash e suas realidades completamente opostas. Cada olhar, ação e palavra jamais passam despercebidas no enredo, e o sentimento crescente que um sente pelo outro também não. Isso torna a obra ainda mais atrativa, pois do inicio ao fim temos explicações para tudo o que acontece e não ficamos com uma impressão vaga do roteiro. 
A doçura de Eiji Okumura nos faz amar ainda mais a obra
Acompanhar o desenrolar do mistério durante os episódios é algo que mexe muito com nossas emoções por abordar temas polêmicos do submundo do crime, abuso sexual e o lado podre da sociedade que busca por lucro a todo custo, mesmo que isso envolva prejudicar vidas. Acabamos criando um vínculo enorme com o protagonista e vibramos muito a cada cena em que conhecemos ainda mais Ash Lynx, é como se realmente pudessémos captar as emoções dele. A doçura de Eiji é completamente encantadora, e quando menos esperamos percebemos o quanto o personagem é especial para nós. Além disso a obra faz refêrencias e consegue testar o quanto o seu coração e mente são capazes de aceitar os fatos e superar até o final. 

É importante destacar a excelente trilha sonora desenvolvida para o anime que expressa através das letras e melodia, exatamente o que o protagonista está enfrentando, e tudo isso com um cenário repleto de paletas de cores fortes, realçando ainda mais as paisagens ao longo dos episódios.  O estúdio MAPPA, mais uma vez provou-se impecável. Recomendo assistir o anime completamente de peito aberto, pois esse não cansa de nos surpreender até o seu último episódio. 

Banana Fish é cru, direto e sem enrolação. Através de um enredo diferenciado, dominou completamente a temporada de Outono e sem dúvidas é um dos melhores animes do gênero. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário



Topo