21 de maio de 2017

RESENHA: O SANGUE DOS ELFOS


E aí meus amores!

Tudo bem com vocês?

E lá vamos nós com mais uma resenha da saga do bruxo Geralt de Rívia que estou acompanhando com grande empolgação, e que inclusive, está até um pouco atrasadinha não é mesmo?
 Pois bem, cá estou eu para falar desse livro incrível chamado O sangue dos elfos, que é o terceiro volume dessa saga maravilhosa criado por Andrzej Sapkowski. Já havia mencionado antes que o autor decidiu mudar o estilo da narrativa, deixando a narrativa de contos de lado e aderindo a linear. 



Vamos a resenha?




O livro começa com a seguinte citação: 

''Em verdade, vos digo que se aproxima o tempo da Espada e do Machado, a Época da selvageria Lupina. Acerca-se o Tempo do Frio Branco e da Luz Branca, o Tempo da Loucura e o Tempo do Desprezo, Tedd Deiréadh, o Tempo do Fim. O mundo morrerá congelado e renascerá com o novo sol. Ele renascerá do Sangue Antigo, de Hen Ichaer, da semente plantada. Da semente que não apenas brotará, mas explodirá em chamas. 
Ess' tuath esse! Assim será! Atentem para os sinais! Que sinais serão esses, eu vos direi, porém antes a terra se cobrirá com o sangue dos Aen Seidhe, o Sangue dos Elfos...''
   
  Aen Ithlinnespeath, profecia de Ithlinne Aegli Aep Aevenien



Desde os eventos de''A Espada do Destino'', um ano se passou. e, até onde vão os boatos, Geralt está desaparecido acompanhado de uma valiosa garotinha, logo após a invasão de Nilfgaard. A guerra chegou a uma trégua duvidosa, e o Império de Nilfgaard foi detido com muito custo na importante batalha de Sodden, mas novas violências ameaçam romper a trégua a qualquer momento. Os reis matutam o que estão pensando, e um desenrolar de acontecimentos se inicia. 

Os Esquilos – os elfos rebeldes – parecem estar sendo apoiados pelos possíveis invasores e fazem as noites dos reinos do norte adquirirem uma face vermelha. Em meio a todo esse clima de guerra, um homem procura com empenho por Geralt e, mais especificamente por Ciri, a valiosa garota que os reinos anseiam pôr as mãos. Geralt recorre á amigos conhecidos  para buscar por informações sobre o misterioso homem que o persegue. Rience, é  um feiticeiro medíocre, mas que, como menciona Yennefer está sendo ajudado por alguém que detém extremo poder.

Em geral,  mantém se uma narrativa envolvente, e, mesmo usando esta estrutura incomum, a conjunto da obra realmente tem todo o aspecto de um romance. As passagens de tempo entre um capítulo e outro são sim, consideráveis, além das mudanças constantes de pontos de vista, que compreendem Jaskier, Ciri, Geralt e apresentam uma nova personagem, Triss Merigold em sua primeira aparição na saga. 

O sangue dos elfos é basicamente focado na garotinha de olhos esmeraldinos protegida por Geralt. E também sobre a situação politica dos reinos do norte. Nosso Lobo branco raramente aparece na narrativa, também é preciso dar destaque a ação que não é o forte da obra de Sapkowski. Apesar de existir algumas sequencias de lutas e confrontos, se resumem a um máximo de uma por capítulo, com alguns deles sequer possuindo estes instantes de confronto. Em suma, O sangue dos elfos, merece ser lido para compreender melhor a relação que o destino fora capaz de causar na vida do bruxo Geralt, e vale á pena memorizar cada detalhe, pois o que nos aguarda em ''O tempo do desprezo'' é caracterizado de muitas mudanças drásticas na saga. 

Espero que vocês tenham gostado! E em breve, trarei a resenha do próximo volume. 

Um grande beijo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Tendência Cósmica - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger